terça-feira, 7 de agosto de 2012

Até já!

Depois de andar aqui às voltas com o blog e a minha falta de inspiração, decidi fazer as malas e mudar-me para o Tumblr (eu sei, passei as últimas décadas a dizer mal daquilo, mas eu digiro muito mal novas redes sociais!É um processo de leva o seu tempo).

Não vou apagar este blog porque gosto muito de tudo o que escrevi aqui, tudo o que partilhei e das pessoas que conheci. Por isso, virei cá ocasionalmente ver o que vocês andam a escrever e comentar. Para continuarem a saber o que é feito de mim, CARREGUEM AQUI!



Vou usar o Tumblr como blog escrito sempre que me apetecer, além de colocar as ditas imagens que é suposto.

Até breve a todos! :)

LUNA

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Coisas que interessam ao mundo: Roupa

Recentemente fui ás compras com a Boneca de Trapos e a Lady Candlelight às compras (sim, daquelas coisas que demoram uma tarde) e surgiu a ideia de fazer um post sobre o tipo de coisas que costumamos vestir. Se não acham giro, o melhor é não continuar a ler. Se acham giro, aqui vai o que eu costumo vestir:


VESTIDOS E SAIAS
Eu raramente uso calças. Muito, muito raramente. A norma é andar de vestido ou saia, sempre com a mesma forma: vestido de boneca (justo em cima, largo em baixo) com rendas em baixo, saia de roda ou saia aos bicos. Claro que acompanho as saias com camisolas/tops/t-shirts, geralmente de uma só cor.


CALÇADO DE PLATAFORMA
Desde que me habituei à plataforma não quero outra coisa. Tenho nas botas, nas sapatilhas e nos sapatos de tacão. Também gosto de Mary Janes. No entanto, para situações de trabalho ou em que tenha de andar mais prática etc, tenho um par de sabrinas, um par de botas ditas normais, sapatos de tacão baixinho (uso sempre no teatro porque tenho de correr imenso nos bastidores para não me atrasar a entrar em palco) e all-stars.


COLLANTS
Geralmente uso pretos, mas tenho com riscas pretas e brancas, verde-escuro e rosa. Nunca ando sem collants (no teatro uso da cor da pele, evidentemente). Este ano achei que se calhar não é necessário passar o Verão ao sofrer de calor nas pernas e resolvi adquirir um par de leggins pretas abaixo do joelho. Ah, eu uso sempre meias por dois motivos: primeiro porque se a saia por acaso levantar, faço menos figuras e não se vêem as cuecas, segundo porque tenho as pernas mais brancas do mundo e ninguém precisa de saber.


CASACO COMPRIDO
No Inverno, claro. Tenho blusões curtos mas não uso, não gosto de ver. Tenho um casaco preto com bolas brancas e orelhinhas no carapuço que me faz parecer um peluche e um casaco preto abaixo da anca, simples.


ACESSÓRIOS
Dantes chamavam-me ocasionalmente «a menina do lacinho», especialmente quando não sabiam o meu nome, porque eu andava sempre com laços nas bandoletes. Ultimamente comecei a andar com o cabelo solto sem nada, mas tenho uma colecção de bandoletes, laços e afins. Agora comecei a dedicar-me aos anéis e colares (ultimo anel: redondo com pedra azul que eu achava que era roxa mas não faz mal; ultimo colar:um lolipop vermelho). Também costumo usar uma pulseira de picos relativamente pequena. E sempre muita maquilhagem.


O resultado é mais ou menos este:

    (esta é das mais recentes)


(esta tem 1 ano; evidentemente não uso batom preto na rua)


(esta também é recente, fiquei com cara de «tirem-me daqui», não façam caso)

(esta é a mais recente, é só por causa da maquilhagem)


E pronto, aqui ficou um post com interesse inegável que vai fazer a diferença no mundo.

Agora convido as duas meninas que foram comigo às compras a fazerem também um post idêntico, se quiserem,  e quem quiser copiar a ideia, esteja à vontade!

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Criaturas imaginárias preferidas


Hello. Após a minha mente ter sido vítima de uma inexplicável falta de criatividade que me levou a não ter ideias para posts, a Victória sugeriu-me que fizesse um post sobre as minhas criaturas imaginárias preferidas. É ou não é uma ideia genial? Nunca me ía lembrar de tal coisa (eu estou a ser forçada a crescer e pensar como gente crescida e fazer coisas de gente crescida e NÃO QUERO).


Pronto, então aqui vem uma lista, devidamente acompanhada de imagens magnificamente belas que encontrei por essa internet fora, das minhas CRIATURAS IMAGINÁRIAS PREFERIDAS:

FANTASMAS

Escolhi uma imagem da noiva cadáver porque só me apareciam imagens de lençóis brancos com buracos nos olhos e não é isso que eu entendo por fantasma. E sim, adoro fantasmas mas tenho imenso medo deles. Acho mesmo que eles andam aí (isto soa a aviso) e que nos vêem e sabem as asneiras que fazemos e as boas acções e tal. E quando começa a chover depois de termos arranjado o cabelo ou quando deixamos as torradas queimar...eles conhecem o motivo. Eu já contei que tenho um fantasma em casa, certo? É um brincalhão. Avaria os electrodomésticos todos e até já pôs o rádio a tocar à meia-noite, dois dias seguidos. É um brincalhão, ele.

AFRODITE


A Afrodite é a deusa do amor. E pronto, é muito bonito amar-mo-nos uns aos outros e ter a paz, a alegria e essas coisas todas bonitas em nosso redor e, por isso, eu gosto relativamente da Afrodite. Mas não sou fã, não tenho fotos dela no quarto nem nada.

ELFOS


Os elfos são criaturas mágicas como as fadas, só que têm as orelhas bicudas. Têm poderes e gostam da Natureza e, por isso, eu gosto deles.

UNICÓRNIO


Eu não gosto de cavalos. Toda a gente gosta imenso de cavalos, eu por acaso até já fiz festinhas a um, mas não os acho lindíssimos nem nada disso. Gosto deles como gosto dos outros animais. Pronto, é capaz de ser mais agradável ver um cavalo à frente dos olhos do que um aranhão. Mas pronto, não adoro cavalos. No entanto, se for um unicórnio, aí sim, acho uma fofura. Porém, nunca vi um ao vivo, oh desgraça da minha alma.

BRUXAS


Eu devo ser a pessoa que se vestiu mais vezes de bruxa no Carnaval, não por ser mais fácil arranjar a roupa, mas por adorar bruxas. Adoro. E não são aquelas bruxas horrorosas, com verrugas e feias e más. São bruxas que são uma espécie de fadas góticas e não têm de ser más pessoas. Fazem só umas magiazinhas para tornar a vida (a delas, naturalmente) mais fácil. E têm bom coração. Fazem feitiços e poções e, por isso, são muito criativas. E extremamente inteligentes.

FADAS


Pronto, as fadas são uma espécie de elfos mas com orelhas normais. E têm asinhas e podem voar e eu tenho inveja delas (não, nem me falem em aviões).

VAMPIROS


Bom, na verdade, eu não gosto de vampiros. MAS, NO ENTANTO, PORÉM.... Se me aparece à frente aquele da imagem, que fique bem claro que eu AMO vampiros.
Ah, também gosto da Draculaura das Monster High, que é uma vampira vegetariana.

E vocês, de que criatura gostam mais?

Já agora, quem quiser deixar ideias para posts, esteja à vontade que eu agradeço.

<3



segunda-feira, 25 de junho de 2012

TeleMonter



Já há muito tempo que não fazia um dos meus habituais do-it-yourself. Desta vez, a vítima foi o telemóvel. Pensei em comprar autocolantes das Monster High para personalizar o telemóvel e, eventualmente, computador e o que mais me aparecesse à frente. Mas os autocolantes custavam entre 3 e 5 euros, e isso dá para uma camisola em saldos e um ou dois vernizes. E muitas, muitas chiclas. Mas adiante. Para quem não conhece, as Monster High são estas bonecas (há mais bonecas do que as que aparecem nas fotos; existem em desenho animado e em boneca tipo barbie):








A minha preferida é a Draculaura, uma vampira vegetariana:


Quando ao telemóvel, o processo foi este:
(já agora, o telemóvel é este aqui e já tem 500 anos)
- recortei duas pequenas imagens de duas bonecas à escolha (a Draculaura e a Frankie Stein) de um catálogo da Toys 'r Us
- ía colar com cola líquida as duas imagens na capa de trás do telemóvel, mas apercebi-me que a cola tinha secado. Encontrei um papel autocolante branco e decidi usar, à falta de melhor. Então cortei tiras pequenas do papel e colei as imagens à volta, ao telemóvel.
- as imagens ficaram, assim, com uma tira branca a toda a volta. Como a cor da boneca Frankie é azul, pintei com verniz azul as tiras à volta da imagem dela, e pintei de rosa as tiras da Draculaura (poderão reparar nisso na imagem abaixo)
- a seguir, pintei toda a capa do telemóvel com verniz transparente de brilhantes (passei também por cima das tiras, para ajudar a segurar ainda melhor).


E o resultado do meu TeleMonter está aqui:




Também pintei a parte da frente com o tal verniz de brilhantes (isso já tinha feito há uns tempos).


Alguma coisa que não tenham entendido da explicação, perguntem. Gostam do resultado? Podem fazer o mesmo com os vossos telemóveis, computadores, etc, sempre com cuidado com os materiais como verniz e cola para não estar em contacto com a parte interior dos aparelhos, senão correm o risco de estragar. De resto, é muito fácil.


Ah, antes que perguntem (já me perguntaram isto no facebook e twitter), as unhas são mesmo minhas, não são postiças :)

domingo, 3 de junho de 2012

Plataforma

Já usava calçado de plataforma em criança. Não era daquele ortopédico (que, por acaso, me fez alguma falta também), era calçado normal com plataforma. Acho que a minha ideia era imitar estas meninas (eu era a loira, já agora; de vez em quando também queria ser a das madeixas).

Passado não sei quantos anos (não nos vamos agora pôr com esses detalhes), a febre voltou. (entretanto apercebi-me que está a tornar-se uma espécie de moda, mas já sabemos como as coisas são, daqui por 15 dias ninguém se lembra de nada e volta tudo à normalidade; mas a julgar pelos olhares que algum do meu calçado gera, ninguém diria que é moda ou rotina).

E agora algumas das minhas preferências recaem sobre estes exemplares:



















(não verifiquei se esses em cima são todos sem pele, mas creio que sim. De qualquer forma, convém sempre ver nos sites oficiais e seguir as etiquetas, se quiserem saber qual é o símbolo da pele cliquem no sublinhado. )

De momento, as plataformas que se passeiam por esta casa fora (é uma maneira de dizer, porque cá dentro só entra pantufa, excepção apenas para convidados) são estas aqui:



(o laço fui eu que pus)

Mais alguém tem uma admiração especial por plataformas? Dos que seleccionei, têm preferências? *.*



quarta-feira, 23 de maio de 2012

Audrey Kitching




O título ali em cima é sobre a rapariguinha que venho apresentar (a não ser que eu seja a retardada do costume e já toda a gente a conheça, também é possível).

Vocês sabem que eu gosto de cabelos coloridos e não entendo porque é que as pessoas não nascem com a mesma variedade de tonalidades capilares que têm as flores. Eu sei que a Natureza é perfeita e isso tudo mas nisto está a falhar. E então pronto, eu pesquiso muitas vezes imagens de cabelos coloridos na net, só para ficar um bocadinho mais frustrada (quanto ao meu cabelo vermelho, já tem os reflexos, daqui a três semanitas vou pôr a cor mais chocante que me aparecer no catálogo a ver se é desta). E aparecia-me muitas vezes uma mocita com cabelo tendencialmente cor-de-rosa-giro e eu comecei a reparar que eram muitas fotos da mesma menina para ser só coincidência. E eis senão quando, um belo dia, me aparece nas sugestões do facebook (que sabe a minha vida toda, pelos vistos) a página de uma tal de Audrey Kitching. Vendo eu um cabelo cor-de-rosa evidenciado na fotografia de perfil, fui espreitar. E pronto, era a miúda que aparece constantemente no Google Imagens.


Venho então a saber que se tornou conhecida quando era scene queen, com 14 anos, e agora é estilista, fotógrafa e modelo.
Para quem quiser ficar a conhecer melhor, aqui estão as páginas oficiais: FACEBOOK, BUZZNET e TWITTER.

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Rainbow in your head

Fiz uma selecção de imagens de cabelos coloridos que gostei. Quem sabe, um dia, eu venha a ter o meu assim. (é, vamos acreditar que sim, eu pobre desgraçada a quem as tintas de cabelo teimam eu não pegar - mas segunda-feira lá estou eu de novo na cabeleireira, desta vez com dois tubos de tinta em vez de um). 


E aqui estão eles:











De qual gostam mais? Eu escolhia o vermelho!


terça-feira, 20 de março de 2012

Willie, apresento-te gente fofinha como tu


Do meu aniversário surgiu um novo habitante cá em casa. Chama-se Willie, é tímido, medricas e fofinho como tudo.


(eu sei que parece enorme mas é a coisa mais pequenininha e amorosa que possam imaginar)


E pronto, o Willie está muito contente por vos conhecer (dentro dos limites impostos pela timidez e medriquice que o caracterizam, claro).

sábado, 3 de março de 2012

Ainda estou a recuperar do choque


A Emilie Autumn está mesmo loira. Acho que sou capaz de me habituar.






EMILIE MARIA, PINTA ISSO DE COR-DE-ROSA OUTRA VEZ FÁXABORE!!!

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

As pessoas que vão ao veterinário são melhores pessoas.


Tenho chegado a esta conclusão.

O meu Bobby está com um abcesso num dente, que lhe provocou uma ferida feia externamente, e por isso temos andado desde sábado na correria para o veterinário, para limpar a ferida. E lá anda ele de colar (aquela coisa branca e grande que parece a parte de cima de um candeeiro ), insatisfeito da vida.



Entretanto, já nos cruzámos por lá com uma senhora que queria tosquiar um cão que lhe apareceu à porta e ficar com ele porque «agora não vou deixar o bicho sozinho», com uma senhora que se reúne com amigas e paga a meias os tratamentos de animais vadios (e tem uma ovelha e um carneiro só porque sim) e com pessoas que falam para os animais como se fossem bebés.



E pronto, isto tudo levou-me à conclusão que está inscrita no título do post. As pessoas que vão ao veterinário são melhores pessoas. Pelo menos, até agora, só tenho encontrado gente fabulosa e inspiradora por lá. De cada vez que lá vou, regresso com uma história nova para contar. Às vezes a história é mais rica do que uma sessão de cinema. Quantas vezes.




quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Só porque eu sou boa pessoa...


Vim cá deixar-vos umas frases para meditação. Pronto, não é bem para meditação. É mais reflexão. Ou adoração. Ou identificação. Bem, adiante. Eu tinha de arranjar uma maneira de parecer que não ía falar da Emilie Autumn outra vez.


Bem, então aqui ficam frases que retirei de entrevistas dela (ainda vou a meio na leitura da minha recolha de entrevistas dela, por isso, é natural que daqui a algum tempo vos volte a cheringar com isto). Se não se maravilharem, não sei que vos faça. Vão para o asilo HAHAHAHAHA (e agora só eu e mais dois ou três Plague Rats é que apanharam a piada)!

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::


«I perform with the intent to perform, and I think people appreciate that. I'm not shy. I adore being on stage, and it shows. When I'm on stage, I represent a sort of spirit rather than a person or a human or a woman. »

«I don’t need an outside person to come along and say, “This is your vision for the show. This is what it should be."»


«I’m sure that you can imagine nothing is as glamorous as it seems like it is from the outside. …you don’t know how long it’s been since I washed my corset. It’s an amazing thing. The Bloody Crumpets and I do experiments on like, “How bad can we possibly smell?

«I could be working at McDonald’s. And I’m not. And that’s big f**king deal for a musician, because it’s the top one percent that will ever be able to say that. So, I realize right now how lucky I am – even when things are incredibly, excruciatingly difficult.»


« I had that pressure when I was sixteen and just becoming me. And, of course, then you’re an easy target for anybody who wants to exploit that. But now it’s really not, because everybody that I work with knows that it would be absolutely pointless to even talk to me about doing something that was different.»

«My advice to any artist, including myself, is every day I remind myself, “Never forget who the boss is.” And that’s you.»


«And what is hell? Hell is other people. And so that’s the idea. You start out with “misery loves company.” Then hell is other people. So it’s all these contradictions.»

«we’re really Gothic in the sense that there’s just some dark s**t going on but we don’t have to wear black to prove it. And so, it’s Goth in its real sense of Gothic architecture and Gothic art, Gothic thought, Gothic literature — not the Gothic fashion, necessarily, which, I think, is charming but it’s not what we are.»


«Everybody understands something that goes on here if they open up enough to really listen to it.»


«If you’re going to call me crazy, I’m going to make crazy awesome.»

«Nobody wants to talk about cutting yourself. Nobody wants to talk about suicide. Sexual abuse is somewhat acceptable because a lot of people do it. At least one of four women is raped. Those are the ones that report about it, that we know about, and I would know. That’s reality.»


«
Everybody’s got something to deal with. It’s just that I’m louder because I have a microphone. That’s all.»


«A Beethoven concerto can kick the ass of any of this shit that I’m singing. You know, no five minute song that I do is gonna compete with that.»


«The song I can die after writing, the song that makes me think should I even write anything anymore — not because it’s the best song in the world but because it says everything I ever need to say about anything — is “The Art Of Suicide”. That’s it, done, I’m out.»

«when you don’t give a fuck about who listens to it, then you tell the truth, and do something that’s actually real, and people always respect and respond to that. I have complete faith in audiences understanding and reacting to the truth when it’s presented like that.»